Noticias Contábeis

Empreendedora lança loja virtual de café e conquista nicho de consumidores

20/05/2022

Depois da maternidade, Flávia Maria Fiorenza resolveu largar o Direito, depois de 14 anos, para empreender. A decisão não foi fácil. Em 2019, ela se formalizou como Microempreendedora Individual (MEI) e lançou o Cafeine-me, um e-commerce de café especial.

A empresária conta que, desde o início, a Cafeine-me foi pensada para o mundo digital – ela montou o site da marca e apostou nas redes sociais para fazer a divulgação. A estratégia deu certo. O consumidor pode comprar de forma espontânea ou fazer uma assinatura mensal: são três tipos, que variam de acordo com a qualidade do grão do café especial. “Desde o café do dia a dia até um café para quem tem o sensorial um pouco mais aprimorado. O café vai mudando de nota dentro do plano”, explica.

Atualmente, o Cafeine-me tem 90 assinaturas – compostas majoritariamente, segundo Flávia, por mulheres. A maioria dos consumidores mora em Florianópolis e na região metropolitana. Flávia compra direto dos produtores de Minas Gerais. Ela seleciona o grão, faz a negociação e recebe o café já torrado. Todo café vendido pela empresa é do tipo especial, de edições limitadas e com lotes exclusivos.

A demanda também cresceu na pandemia: “Eu não perdi cliente, ao contrário: os que eu tinha passaram a comprar uma quantidade maior de produtos”, relata. Flávia conta que cresceu muito a procura de empresas que desejam o café para presentear os seus colaboradores ou fornecedores.

Outra estratégia adotada pela empreendedora foi de participar de parcerias por collabs - projetos colaborativos entre marcas. “As marcas compram o café e criamos uma embalagem exclusiva. O café é enviado aos clientes em ocasiões especiais, e a Cafeine-me sempre é mencionada nos rótulos e cartões que acompanham cada entrega. Essa junção entre duas marcas para a cocriação de um café exclusivo gera conteúdo nas redes sociais. “É uma forma atrativa e diferente da Cafeine-me entrar em um universo que, muitas vezes, não tem tanto acesso”, justifica.

Vantagens de ser MEI

Flávia toca a empresa sozinha. A empresária ressalta que o fato de ser MEI a ajuda a fazer contato com outras empreendedoras que estão no mesmo patamar e em busca de uma qualificação para melhorar a gestão da empresa. “Você é MEI, mas pensa, age e deseja entregar como uma empresa grande que é referência”, afirma.

Ela aponta ainda outra vantagem: o fato de o Sebrae possuir uma infinidade de recursos para ajudar o MEI. Além de fazer o Empretec – programa que inspira o participante a descobrir o seu perfil empreendedor e suas habilidades –, a empresária participou do Sebrae Delas – programa que desenvolve competências e network de mulheres à frente de pequenos negócios – e conta que teve uma série de cursos e conteúdos disponibilizados para alavancar o negócio e se qualificar cada vez mais. “Ele é essencial para a mulher que quer empreender. Significa caminhar juntas. Esse é o sentido”, diz.

A empresária também já participou de uma edição da Semana do MEI. Ela teve acesso a vários conteúdos. “Cada vez que a gente participa de um evento é uma injeção de inspiração, de ânimo. A gente sabe das dificuldades e das barreiras que precisam ser enfrentadas e ultrapassadas todos os dias, mas ouvir outras histórias é um incentivo para passar por dias difíceis e não desanimar”, assevera.

Semana do MEI

O Sebrae promove, até amanhã (20), a Semana do MEI, evento anual que conta com uma programação ampla de oficinais, palestras e atendimento especializado para os microempreendedores individuais brasileiros. As atividades são oferecidas gratuitamente por meio da plataforma on-line Sebrae Experience, que traz um ambiente digital e interativo.


Fonte: Agência Sebrae

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter